28.01.2008
Os médicos peritos do INSS denunciam que continuam sendo alvo de agressões por parte de beneficiários do sistema. Em apenas 11 dias úteis de 2008, já foram registradas 11 agressões, ou seja, uma média de uma por dia. Segundo a Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP), vários casos são graves, como a ameaça de morte recebida por um perito em Osasco (SP), via telefone 135, de atendimento para marcação de consultas do INSS. Em outro caso grave, também em São Paulo, uma perita levou uma cadeirada no peito de um segurado empregado que não concordou com a negativa na concessão do benefício indevido. De acordo com a ANMP, os casos são os mais bizarros possíveis. Em Niterói (RJ), uma perita foi ameaçada por uma segurada que colocou um facão em sua mesa antes mesmo do início da perícia, que foi cancelada. A direção da ANMP lembra que o atendimento ao perito agredido está previsto no Memorando Circular 02/2006, nos seus incisos VIII e IX, que incluem acompanhar o servidor agredido à Delegacia e estabelecer contato com as polícias Federal, Civil e Militar para obter orientação e apoio no combate a agressões deste tipo a servidores.(As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores, não refletindo, necessariamente, a opinião do Núcleo Atuarial de Previdência – NAP / COPPE / UFRJ. Sua reprodução é livre desde que mencionada a fonte.)