06.10.2011

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira, na Paraíba, uma operação para prender os 23 integrantes de um grupo investigado por fraudar a concessão de benefícios previdenciários no Estado. Investigações preliminares indicam que o esquema fraudulento causou um prejuízo de, no mínimo, R$ 10 milhões aos cofres públicos. Cinco servidores do INSS foram detidos.

Foram expedidos 15 mandados de prisão preventiva, oito de prisão temporária, 33 de busca e apreensão e determinado judicialmente o bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens dos principais envolvidos. Foram apreendidos 12 veículos entre carros e motos e duas armas.

As ações foram coordenadas pela Força-Tarefa Previdenciária que, além da PF, é composta pelo Ministério da Previdência Social e pelo Ministério Público Federal. Responsável por cumprir os mandados de prisão expedidos pela Justiça, a PF informou, em nota, que o grupo fornecia documentos falsificados para pessoas que requisitavam ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) benefícios como aposentadorias e pensões.

A documentação servia para comprovar o exercício de atividades rurais. Após a obtenção dos benefícios, o grupo forjava empréstimos consignados feitos pelo beneficiário, recebendo parte da pensão ou aposentadoria.