29.07.2013

De acordo com especialista maior problema é sedentarismo

A Organização Mundial de Saúde afirma que 80% da população mundial terá, pelo menos um episódio de dor na coluna durante a vida e que cerca de cinco milhões de pessoas sofrem de hérnia de disco no país. Não são poucos os casos que envolvem coluna, os números não deixam dúvida que esse é um mal mundial.

A auxiliar contábil, Jéssica de Moraes Lima, tem 19 anos e desde pequena, sofre de problemas na coluna. Para aliviar as dores, faz de duas a três sessões de pilates terapeutico toda semana. Os exercícios, que são realizados ao lado de uma profissional, servem para fortalecer a musculatura e aliviar as dores. 

“Faz um semana que eu estou sem dor pela primeira vez em cinco anos então, estou nas nuvens”, ressalta Jéssica.

Ela diz que sempre praticou atividades físicas e que o problema na coluna é hereditário. “Eu sou muita nova para ter o problema que eu tenho, então deve ter sido algum acelerador genético ou talvez má postura, mas acredito que seja genética, pois não posso fazer nada para evitar”.

Para esclarecer algumas dúvidas, a Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna, lançou uma cartilha de exercícios, que podem ser feitos em casa.

“Os exercícios que ela lançou podem ser feitos tanto para prevenir quanto para tratar, então ela vai abranger os dois lados, as pessoas que querem a prevenção e aquele paciente que já teve dores, inicia o tratamento para evitar outras dores”, diz a presidente regional da Associação Brasileira de Coluna Lígia Silva Souza.

De acordo com a presidente, um dos maiores problemas é o sedentarismo. Ela ressalta: a preocupação tem que vir desde cedo.  “Hoje a preocupação deve ser grande principalmente com crianças e adolescente, que ficam no computador, vídeo game, com posturas erradas e não praticam atividades físicas”, diz.

Para quem tem dúvidas sobre a postura correta para sentar e sobre o polêmico salto alto, atenção. “A pessoa com salto alto tem a tendência do corpo ir para frente ela faz força para jogar o tronco para traz é ruim, mas as rasteirinhas não são indicadas, o certo é um salto de 3 a 5 centímetros. O jeito correto de se sentar é apoiar os pés no chão, tomar cuidado com o acento da cadeira , as costas precisam estar apoiadas , para quem trabalha sentados precisa de apoio para antes braços até a região do cotovelo. Os computadores tem d estar na altura dos olhos, nunca acima”, finaliza a presidente.